Manancial de Vida AD - Um canal de benção para sua vida.
 
Untitled Document

O que diz a Teoria da evolução?

Charles Darwin e também Alfred Wallace, ambos britânicos do século XIX, chegaram a uma teoria muito parecida após realizarem seus estudos observando espécies de animais e vegetais.

Darwin publicou suas ideias em um livro denominado “A origem das espécies” e sua teoria foi sendo cada vez mais estudada com o passar dos anos. Atualmente, ela é amplamente aceita no meio científico. A teoria da evolução, ou darwinismo, fala sobre o surgimento das espécies e, em nenhum momento, discute a respeito da origem do universo. Uma espécie biológica é definida como sendo formada pelos organismos que podem se acasalar e deixar uma nova geração fértil, capaz de gerar novos descendentes. Para Darwin, uma espécie pode dar origem a uma espécie após centenas de anos. Isto aconteceria porque existe uma variação nas características observadas nos indivíduos. Por exemplo, na espécie humana, vemos que as pessoas possuem diferentes características como cor da pele, altura... Darwin afirmou que, sob determinadas circunstâncias, algumas características poderiam favorecer um grupo de indivíduos e, assim, esses estariam mais aptos a sobreviverem e a procriarem.

Vamos criar um exemplo muito simples para esclarecer como isso aconteceria: um grupo de animais vive em uma floresta e se alimenta de algumas plantas de fácil mastigação que vamos chamá-las de plantas “moles”. Neste mesmo grupo, alguns animais, devido às diferenças genéticas, são capazes de ingerir e se alimentar de plantas mais resistentes e de difícil digestão, as chamadas plantas “duras”. Se nesta floresta, por algum motivo, as plantas “moles” não forem mais encontradas, apenas os animais que puderem comer as plantas “duras” sobreviverão. Com o passar do tempo e das gerações, uma nova população, apresentando esta característica, seria dominante naquele local e, devido ao isolamento desse grupo e às alterações genéticas, uma nova espécie diferente da original surgiria neste ambiente. Isto é: esta nova espécie teria evoluído da espécie original. Assim, para Darwin, as espécies viventes são, de alguma forma, aparentadas entre si. No caso da espécie humana, por exemplo, os macacos seriam nossos parentes mais próximos (o homem e os macacos teriam se originado de um mesmo organismo vivente há milhares de anos).

Mas, por que essa teoria foi aceita pelos cientistas? Os fósseis são considerados a prova mais objetiva de que muitas espécies existentes no passado, hoje, já não existem mais. Entretanto, considerando as análises realizadas nesses fósseis, muitos organismos vivos teriam se originado dessas espécies do passado. Um exemplo muito conhecido são os dinossauros, que teriam dado origem aos répteis atuais. Além disso, as espécies que hoje existem possuem muitas semelhanças durante o desenvolvimento embrionário, na sua estrutura, no funcionamento de seus organismos, o que seria indicativo de um parentesco comum, como afirmava Darwin.

 O que penso como cristã e bióloga?

Acredito, sim, que o darwinismo deve ser estudado de modo correto nas escolas e até mesmo debatido nas igrejas. Nós evangélicos não podemos chegar às universidades apenas negando algo que ouvimos dizer, na maioria das vezes, de modo incorreto, e parecendo ignorantes aos olhos dos ímpios. Aqueles que têm sua fé firmada em Cristo, ao receberem as explicações que a ciência dá, não terão sua fé abalada. Ao contrário, saberão que Deus está no controle de tudo.

A ciência não pode ser vista como um obstáculo à nossa fé. E não é combatendo os argumentos científicos que mostraremos o plano de salvação aos considerados sábios neste assunto, os cientistas, por exemplo. Deus tem permitido que os homens descubram muitos mistérios que, nos tempos bíblicos, já eram relatados por revelação divina. Jó, por exemplo, afirmou que havia escapado só com a pele de seus dentes (Jó 19.20), quando não se tinha ideia de que o esmalte dos dentes era formado por uma camada de células epidérmicas, assim como a nossa pele. Isaías, numa afirmação simbólica, afirmou que Deus está assentado sobre o globo da Terra (Is 40.22), quando ainda se pensava que a Terra era plana. Enfim... Muitas passagens bíblicas estão repletas de revelações que têm sido comprovadas pela ciência, enquanto outras carregam mensagens simbólicas, comparações que tem por finalidade aumentar a nossa fé.

A Bíblia fala de um Deus eterno, poderoso, onisciente, onipresente e onipotente. Somos criaturas suas, mas não melhores ou superiores a tudo e a todos, mas especiais, pois Deus nos deu a incumbência de cuidar de tudo que há na Terra. Mais do que isso, Deus nos fez seres dotados de um vazio que só Ele é capaz de preencher e nossa alma anseia por buscá-lo. Este vazio é ocupado por Jesus Cristo e seu sacrifício redentor na cruz do Calvário, nos dando a certeza de uma vida eterna com Deus. Darwin não explicava isso, nem nenhum cientista seria capaz de explicar a eternidade e os desígnios de Deus. A Ciência não explica os mistérios de Deus, mas já começa a entender que a fé faz bem para as pessoas.

Como pesquisadora da área genética, quanto mais estudo, mais vejo o quão poderoso Deus é. Geneticamente falando, todos os organismos vivos são, em essência, formados por diversas substâncias químicas que, combinadas, são capazes de comandar o funcionamento de uma bactéria microscópica ou mesmo de um grande elefante. O material genético da maioria dos organismos vivos, o DNA, traz informações importantes de como serão suas características físicas, o funcionamento do organismo, etc... E essa informação, combinada com a ação do meio ambiente, resulta em tudo que vemos nos seres vivos. Eu me pergunto: como substâncias tão simples como àquelas que formam o DNA, as quais manipulamos em laboratório, que conseguimos até criá-las artificialmente, podem ser tão semelhantes em um organismo de uma só célula (como uma bactéria, por exemplo) e no homem, com toda a sua complexidade? Mecanismos tão complicados que determinam o sexo dos animais (macho e fêmea) apresentam os mesmos princípios básicos em sapos, cobras, aves e nos mamíferos. Isto não é mistério para nós? A ciência explica isso através do darwinismo.

Como e quando os fatos aconteceram não é tão importante quanto saber o quão tremendo Deus é, capaz de criar mecanismos tão complexos que nós, como cientistas, estamos tentando a todo tempo entender. Darwin afirmava que todos os organismos têm uma origem em comum e, nós, temos certeza que a origem de tudo é Deus, algo que só quem tem fé pode afirmar. Com certeza, Ele é o Cientista maior!

 

Lisandra Cristina Caetano da Silva

Membro da AD - Ribeirão Preto - templo sede,

Bióloga, formada pela FFCLRP-USP,

Mestre e doutora em Ciências biológicas (área de Genética) pela FMRP-USP.

 



VEJA TAMBÉM
Galerias de Fotos
ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br ieaderp.com.br

 
 
Widget gerado por Gospel Prime
 
R

VÍDEOS


Igreja Evangélica Assembleia de Deus
Rua Álvares de Azevedo, 635 - Vila Tibério - Ribeirão Preto/SP
Fones:(16) 3636-9591 / 3636-9435
Copyright © 2013 - Todos os direitos reservados.